Como a tecnologia está ajudando o varejo a atender melhor seus consumidores

30 April 2020 — Whow!

Tentar prever resultados e entender o que os clientes desejam e precisam são estratégias que, apesar de fundamentais para as empresas que atuam no varejo, podem não ser simples. Mas o avanço da tecnologia tem permitido que cada vez mais organizações desse segmento adotem essas práticas, melhorando seus resultados. Uma pesquisa da McKinsey realizada com 2.360 executivos em todo o mundo revelou que 63% daqueles que adotaram recursos como inteligência artificial e machine learning tiveram aumento nas receitas das companhias, e 44% reduziram custos.

Consumidores 5G

Estudos como o Webshoppers 40, um dos mais importantes sobre o e-commerce brasileiro, divulgado pela Ebit e Nielsen, revelam que, quanto maior é o conhecimento do perfil dos usuários que consumirão o produto, maior é a chance de conversão em venda.

Foi pensando nisso que o empreendedor Thiago Miranda fundou a Vito.ai, uma plataforma de inteligência artificial para o varejo. A ideia surgiu quando ele percebeu que poderia usar sua expertise em negócios on-line para ajudar os varejistas a atenderem as exigências do consumidor atual, que ele chama de 5G.

“O consumidor 5G é o novo consumidor: ele deixou de ser um mero expectador e passou a atuar de forma ativa diante da quantidade de ofertas por sua atenção, valorizando marcas que se comunicam diretamente com seus objetivos e ideais, onde e quando ele estiver. Esse consumidor se tornou protagonista nas histórias de sucesso ou fracasso das marcas, e exerce um poder jamais visto, devido à possibilidade de interação com as marcas, que foi amplificada pelas redes sociais”

 Thiago Miranda, fundador da Vito.ai

A Vito.ai desenvolveu uma plataforma unificada de dados para auxiliar os varejistas na tomada de decisões, potencializando seus resultados. Para isso, a ferramenta roda aplicações de inteligência artificial, machine learning e deep learning. Os serviços são vendidos em módulos, que se dividem em Personalização da Jornada, Marketing, Precificação Dinâmica e Logística.

As empresas que precisam de um diagnóstico ou desejam acompanhamento personalizado podem contratar o serviço de consultoria. “As aplicações de I.A. e M.L. comprovadamente trazem resultados significativamente maiores para áreas como marketing e logística, por exemplo, reduzindo custos e aumentando a efetividade dos esforços”, , aposta Thiago, em entrevisto ao Whow!. “Embora a crise tenha abatido muitos negócios, ela também forçou empresas de todos os portes a se reinventarem para sobreviver. Acredito que surgirão diversas oportunidades para atender ao novo consumidor pós-crise.”

Varejo no pós-crise

A análise de dados correta permite que os varejistas corrijam erros de forma rápida, barata e eficiente, evitando prejuízos financeiros e desgastes nos relacionamentos com os clientes. Desde 2015, a consultoria Math Marketing ajuda empresas a otimizar seus ativos de marketing e vendas. O VP e Growth Strategy da Math Marketing, Marcel Ghiraldini, explica que o trabalho se apoia em três pilares: Data Driven Strategy, Business Analytics e Omnichannel.

“Os clientes precisam voltar a ser vistos como indivíduos e tratados de forma personalizada. Devemos estar prontos para um futuro onde testar é a nova norma, pois apenas um grade leque de hipóteses e testes nos permitirão aprender na velocidade necessária quais são os triggers de consumos, as alavancas de conversão, a nova sensibilidade de preço”, disse Marcel, ao Whow!.

Em meio à pandemia da Covid-19, a startup disponibilizou gratuitamente uma metodologia que mapeia as principais oportunidades das empresas nos mercados em que estão inseridas. A ferramenta QI Digital analisa o Quociente de Inteligência do Marketing Digital das empresas através da combinação de seis pilares considerados críticos: Ads, Conteúdo, Automação, Experiência, Técnico e Analytics.

Quem também acredita que estamos diante de um novo modelo de consumidor é Flávia Villani, head no Brasil da Dunnhumby, primeira plataforma de dados do cliente do mundo.

“O fechamento de vários comércios fez com que o consumidor experimentasse novos canais de compra, e esse é um movimento sem volta. Esse novo consumidor exige a revisão da proposta de valor do varejista. Talvez a conveniência/entrega em casa passe a ser mais relevante do que o preço, por exemplo”

Flávia Villani, head da Dunnhumby no Brasil

Segundo ela, existem dois possíveis cenários para os próximos meses: o primeiro é um retorno às velhas estratégias, com varejistas entrando em uma guerra de preços e promoções. A outra possibilidade é que haja um aprofundamento do entendimento das mudanças no perfil dos consumidores, fazendo com que os varejistas reavaliem a equação valor/benefício que oferecem.

“A combinação de tecnologia, software, mídia e consultoria centrada no consumidor permite que as empresas aumentem o engajamento dos seus clientes, aumentando seu faturamento e lucro”, disse Flávia, ao Whow!.

Source: https://www.whow.com.br/negocios/tecnologia-ajudando-varejo-atender-melhor-consumidores/