Ciência de Dados x Intuição: qual o vencedor?

Ciência de Dados x Intuição: qual o vencedor?

Ciência de Dados x Intuição: qual o vencedor?

5 December 2017

A Ciência de Dados aplicada ao consumo dá grande poder às empresas para entender seus clientes e direcionar seus esforços para otimizar os resultados das interações com o público. Com o aumento do volume de dados disponíveis e a complexidade das operações atuais, agir com a intuição deixou de ser um caminho seguro. Com frequência, por sinal, o feeling tem se mostrado enganoso.

Um caso recente ocorreu com um dos clientes supermercadistas da dunnhumby na América do Norte. Andrea Reynolds, Client Manager da dunnhumby Canadá, lembra que a empresa apresentou um desafio intrigante. “Eles disseram para ajudarmos a reinventar o layout das lojas com base no que os clientes realmente compram”, afirma. Normalmente, segundo Andrea, esse tipo de decisão é tomada com base no feeling, mas a varejista queria utilizar dados reais de consumo para tomar uma decisão mais qualificada e melhorar a experiência de compra dos clientes. “Passamos alguns dias rodando uma análise completa cross shopping, que nos permitiu entender qual seria o fluxo ideal de produtos em cada gôndola de cada departamento da loja”, explica.

Com base nessa análise, foi criada uma ferramenta que permitiu a criação desses fluxos ideais de produtos em tempo real, com base em parâmetros-chave e em restrições operacionais que seriam encontradas no ambiente físico. Uma série de reuniões com a equipe de alocação de produtos, bem como com alguns gerentes de loja, trouxe mais insights para o projeto e revelou o potencial de geração de resultados. “Percebemos que nossas decisões foram validadas quando um gerente de loja montou o que ele acreditava ser, de acordo com seu feeling, a alocação ideal de produtos. Ao fazermos, logo em seguida, uma alocação de acordo com o que os dados reais de consumo indicavam, tivemos resultados muito superiores”, afirma Andrea.

A conclusão é que somente com a utilização de dados reais de consumo é possível obter o rendimento máximo do ponto de venda. Por mais experientes que sejam as equipes de loja, elas não conseguem lidar com a imensa quantidade de variáveis que interferem nas decisões de compra.

  Back to all content